Desportiva perde em Azeméis

Futsal Azeméis e Desportiva do Fundão encontraram-se esta tarde, em Oliveira de Azeméis. A equipa da casa venceu por 4-1, e ascendeu ao 3º lugar da tabela, à condição (visto que o Modicus só joga amanhã). Com os 21 pontos já somados, o Azeméis carimba o passaporte para a Taça da Liga, pelo terceiro ano consecutivo. Em sentido contrário está o Fundão, que se arrisca a ficar de fora da competição pela primeira vez, desde que a Taça da Liga foi criada, em 2015/2016. A Desportiva do Fundão é uma das 5 totalistas da prova (a par de Sporting, Benfica, Modicus e Braga), e até foi finalista vencida nas duas primeiras edições, mas, esta época, os fundanenses precisam de vencer pelo menos um dos dois jogos que faltam – receção ao Benfica, e deslocação ao Lombos – e esperar que nem Leões Porto Salvo, nem Eléctrico, vençam qualquer um dos jogos que vão disputar.

O equilíbrio foi a nota dominante da partida, pese embora o resultado desnivelado. O Fundão até foi a primeira equipa a criar perigo, por intermédio de Bocum, mas o remate saiu à barra. O Azeméis respondeu por Pedrinho, para defesa de Júlio César. A partida ia-se desenrolando com poucos lances de perigo, e o primeiro golo só surgiu ao minuto 12. Erro na construção do Fundão, que o Azeméis aproveitou para criar superioridade, e inaugurar o marcador, por intermédio de Ruan Silvestre. A resposta do Fundão veio dois minutos depois, com Juninho a repor a igualdade no marcador.

A partida continuava equilibrada, com as duas equipas a encaixarem, e a terem dificuldade em chegar à baliza adversária. No entanto, os adeptos da casa voltaram a celebrar, e o Azeméis foi para o intervalo a vencer pela margem mínima, com novo golo de Ruan Silvestre. Grande trabalho de Jacaré, que recebeu pelo ar de Gerson, segurou a bola até a chegada do companheiro, que rematou para o segundo, da equipa e da sua conta pessoa.

A segunda parte começou da pior forma para os beirões. Hirata cometeu uma grande penalidade logo no primeiro minuto, e, chamado a converter, Vigário não perdoou e dilatou a vantagem do Azeméis. O Fundão acusou o golo, e o Azeméis aproveitou para voltar a marcar, três minutos mais tarde, novamente por Vigário, que conclui da melhor forma o passe de Ruan Silvestre.

A perder por 3, o Fundão partiu para o ataque, obrigando o Azeméis a cometer mais faltas. A equipa da casa ficou tapada logo ao minuto 31, e Ricardo Canavarro deu imediatamente ordem aos seus homens para baixarem as linhas. A partir daqui a Desportiva do Fundão teve mais posse de bola e iniciativa de jogo, mas jogava com pouca intensidade, o que convinha ao Azeméis. A 5 minutos do final, Nuno Couto lançou Mário Freitas como guarda-redes avançado, mas a estratégia não deu frutos, e o resultado ficou selado em 4-1, pese embora o Fundão tenha reclamado uma grande penalidade nos últimos segundos, que a equipa de arbitragem não sancionou.