Desportiva assegura quarto lugar

Misto de emoções no Pavilhão Municipal do Fundão. Em domingo de Páscoa, a Desportiva abriu as portas e os seus sócios e simpatizantes corresponderam em massa, ajudando a equipa a confirmar o quarto posto da tabela classificativa com uma goleada por cinco bolas a duas. O Unidos Pinheirense, com a continuidade no escalão máximo em jogo, não foi capaz de pontuar e viu a despromoção confirmada em virtude da vitória viseense diante do Belenenses.

Domingo de Páscoa decisivo no Municipal do Fundão. Ao conjunto local faltava apenas um ponto para assegurar o quarto lugar da tabela classificativa e marcar encontro com o Leões de Porto Salvo no “play-off”, ao passo que o Pinheirense chegava à Beira Baixa apostado em evitar a descida de escalão.

Após uma importante vitória em Belém por três bolas a duas, a Desportiva desde cedo se demonstrou disposta a encerrar a fase regular com “chave de ouro”, dominando as ações frente a um Pinheirense apostado em aproveitar o erro adversário. A resistência da equipa de Valbom durou apenas quatro minutos – numa altura em que a vantagem caseira já se justificava, Márcio Moreira serviu Gui ao segundo poste e o brasileiro somou mais um golo na presente edição da Liga SportZone. O jogo estava “duro” e, ao 10º minuto de jogo, a Desportiva viu ser-lhe assinalada a quinta falta. Volvidos dois minutos, viria a registar-se um dos melhores momentos da tarde no Municipal do Fundão: o jovem David Gomes “picou” a bola por cima do guardião Moreira e assinou o 2-0 com um golo de belo efeito.

A desvantagem levou o técnico Paulo Morim a parar o jogo e, à passagem do minuto 14, a equipa nortenha reentraria na discussão do resultado. O guarda-redes Rodrigo Costinha derrubou Ruca no interior da área e deu azo à marcação de uma grande penalidade convertida com sucesso por Ricardo Fernandes, jogador que, com um remate violento, encurtou a distância. Dois minutos mais tarde, o mesmo Ricardo Fernandes dispôs de outra ocasião soberana para marcar na cobrança de um livre de dez metros, mas desta feita foi o jovem guardião quem levou a melhor. Antes da recolha às cabines, Mário Freitas ainda ampliou para 3-1 com um remate bem colocado, internacional português que provou uma vez mais que atravessa um bom momento de forma.

Na etapa complementar, a equipa técnica fundanense liderada por João Nuno Ribeiro optou por promover uma alteração na baliza e retirou Costinha do jogo para lançar Júlio César. O Municipal do Fundão festejou novamente à passagem do minuto 24, cortesia de mais um golo do “suspeito do costume” – Gui, jogador que estabeleceu o resultado em 4-1. Quatro minutos depois, Mário Freitas não quis ficar atrás do companheiro de equipa e aumentou para 5-1, com Márcio Moreira novamente na assistência – à semelhança do que tinha acontecido no primeiro golo.

A perder por quatro golos e a precisar do resultado atendendo ao que ia acontecendo em Viseu, o Pinheirense apostaria no 5×4 com Paulinho a assumir funções, jogador que curiosamente tinha cumprido a primeira metade da temporada com a camisola da Desportiva. O último golo do Pinheirense na presente passagem pelo escalão máximo do futsal nacional seria apontado por Peixinho, jogador que com um forte pontapé bateu Júlio César e estabeleceu o resultado final em 5-2.

A derrota, conjugada com a vitória do Viseu 2001 frente ao Belenenses, ditou a despedida do emblema de Valbom ao escalão máximo. Após três épocas entre a elite, o Unidos Pinheirense está de regresso ao segundo escalão do futsal nacional. A Desportiva vai marcar encontro com o Leões de Porto Salvo no “play-off”.

In Futsal Global