Desportiva perde na receção ao Sporting

O Sporting derrotou o Fundão por 0-3 e mantém-se na luta pelo topo da tabela da Liga Sport Zone, mas a tarefa dos leões não foi fácil. Num jogo muito disputado, apesar de nem sempre bem disputado, os leões chegaram ao intervalo em vantagem com um excelente golo de Erick, no entanto a segunda parte trouxe um Fundão superior, depois do segundo golo, e que fez de tudo para dar a volta à partida. Os leões foram mais competentes na defesa e aproveitaram a eficácia nos momentos certos para conquistar mais uma vitória.

O Fundão entrou à procura de aproveitar o empate do Modicus e aproximar-se do terceiro lugar e mostrou cedo que queria colocar dificuldades à perseguição do Sporting ao líder. Os beirões entraram melhor na partida e dominaram os primeiros dois minutos, com um início muito intenso. A melhor oportunidade surgiu mesmo neste período, com um erro de André Sousa nas suas habituais incursões pelo terreno a deixar a bola em Venâncio que, por pouco, não conseguiu aproveitar a baliza deserta.

Esta oportunidade funcionou como choque para a turma leonina que assumiu o jogo e procurou criar perigo. Contudo, durante toda a primeira parte, as defesas superiorizaram-se aos ataques e a inspiração na criação de espaços para remate não estava nos melhores dias – de ambos os lados.

O conjunto de Nuno Dias ia aparecendo, ainda assim, mais vezes perto da baliza dos homens da casa, onde encontraram Costinha em boa forma, como o jovem guarda-redes já havia mostrado na final eight da Taça de Portugal. O guarda-redes foi afastando as ameaças leoninas, mas não conseguiu travar um remate fantástico de Erick, aos 11 minutos, quando o fixo do Sporting conduziu a bola para o pé esquerdo e, da marca dos dez metros, colocou a bola no ângulo superior esquerdo.

O jogo afroxou, sem retirar, no entanto, o equilíbrio permanente, com um jogo de grande nível. O Sporting controlou a partida com a vantagem mínima na retina e, aproveitando alguma inércia fundanense na hora de furar a defensiva dos leões, foi gerindo o jogo até ao intervalo.

O contraste com o início da segunda parte é evidente. O Sporting entrou dominador e não deixou a turma de Nuno Couto respirar até encontrar o caminho das redes de Costinha – algo que sucedeu logo aos 23 minutos. Deo trabalhou muito bem na ala esquerda, ganhando espaço para ultrapassar o adversário em velocidade e descobre, à entrada da área, Alex que aumenta a vantagem dos leões.

O Fundão reagiu bem e em menos de um minuto teve duas oportunidades para recuperar na partida. Os beirões tiveram duas situações de superioridade numérica no contra-ataque, mas, das duas vezes, Allan Guilherme não conseguiu encontrar o caminho da baliza, perdendo boas oportunidades de devolver a vantagem mínima ao marcador. O pivot brasileiro teve ainda, no minuto seguinte, novo lance para concretizar, mas desta feita foi André Sousa a garantir a folha limpa na baliza verde e branca. Foi o ponto de viragem no jogo, com o Fundão a mostrar serviço no ataque, com Eskerda, Gui e Pauleta a darem trabalho à defesa leonina e a André Sousa, que se ia mantendo seguro e mantendo a vantagem de dois golos do Sporting.

A turma de Nuno Couto continuava a dominar a partida desdeo golo de Alex, mas a ineficácia e a indefinição no último passe traíam as ambições dos beirões em encurtar distâncias e procurar a vitória. A sete minutos do fim, o Sporting esboçou uma reacção e voltou a equilibrar o jogo, entrando na partida com a subida de André Sousa e quase aumentou a vantagem com um contra-ataque bem concretizado, com Merlim a colocar em Cavinato, mas o italiano, ao segundo poste, esbarrou em Costinha, numa defesa soberba do português.

Na área oposta, o homem do costume continuava a vacilar na hora de finalizar. Allan Gulherme, com um grande jogo na pressão e recuperação defensiva, rouba a bola e, na cara de André Sousa, voltou a ser ineficaz no remate. O tempo corria e, com quatro minutos no marcador, Mário Freitas vestiu a camisola de guarda-redes para tentar retirar pontos desta partida.

A estratégia não deu os melhores frutos, com Dieguinho, quando Mário Freitas estava na baliza (não houve tempo para a substituição), a aumentar a vantagem e a descansar Nuno Dias com o 0-3. A situação não se inverteu até final, com Nuno Dias a levar os três pontos e a manter-se à espera de um deslize do Benfica.

In Futsal Global